Trabalho com a Chama da Renovação

31.12.2016 à 05.01. 2017

 

Fogo da Renovação

Vamos aprender a coletar a sabedoria do fogo: que ele é, no meio da dualidade, um todo por si só.

Para transcender o que vivemos  hoje e no agora.

Para deixar as coisas que  sentimos e nos estão prendendo.

E esse é o sentido da chama renovadora, da chama transformadora, da chama do renascimento.

E como todos os dias, hoje vivemos mais uma passagem, mais uma porta e mais uma chave. E hoje é o convite de se deixar envolver por esse sol, por essa chama, por essa renovação e apenas senti-la, apenas cada um ser a sua própria chama: ser a própria vida.

 

Oração na fogueira

Reverencio, a ti, Fogo,

Sabendo que és parte de minha própria essência,

Assim como eu sou parte de tua própria essência.

Sabendo que tudo que há em mim, há em ti

E tudo que o que há em ti, há em mim.

Sabendo que és a expressão de minha própria existência

Sabendo que eu sou a expressão de tua própria existência.

 

Reverencio, a ti, Céu,

Sabendo que tua própria essência é parte de minha própria essência.

Sabendo que tudo que há em ti há em mim

E que tudo que há em mim, há em ti.


Sabendo que és parte de minha própria imensidão,

Assim como eu sou parte de tua própria imensidão.

 

Reverencio, a ti, Terra,

Sabendo que eu sou parte de tua própria essência,

Sabendo que tu és parte de minha própria essência,

Sabendo que tudo que há em ti, há em mim

E que tudo que há em mim há em ti.

Sabendo que minha própria existência é tua própria existência,

E tua própria existência que é minha própria constância,


Que minha própria constância é tua própria constância,

Que meu próprio fazer é teu próprio fazer.

 

Reverencio, a ti, Água,

Sabendo que és parte de minha própria essência,

Sabendo que eu sou parte de tua própria essência

Sabendo que tudo que há em ti, há em mim,


Sabendo que sou parte e seu próprio fluir,

Sabendo que tu és parte de meu próprio fluir,

Sabendo que sou parte de tua própria vida

E tu da minha própria vida.

 

Sabendo que Somos Um,

Reverencio, a ti, Vida,

Sabendo que és a própria vida,

A oportunidade de existir,

A oportunidade de ser,

A oportunidade de estar aq
ui.

 

Canalização Kwan Yin

(Pilar do Espaço Ayon)

 

 

Inicio do Processo do fogo da renovação

 

Tempo

Pensando que não existe tempo ou início ou fim, nada realmente pode começar ou acabar. Porém, é uma pausa, um capítulo, vários portais que se abrem e fecham. E hoje, aqui e agora, vários portais foram abertos e fechados que começaram no momento que
chegaram.

O Processo de Renovação, de vocês, hoje se conclui, porém, vai e continua em cada uma das pequenas decisões da cotidianidade do dia a dia, pois não existe mundo mais que o
mundo, não existe lá ou cá.
Existimos no SOMOS UM, no equilíbrio e balanço desta energia de unidade de conexão, nesta equalização perfeita de cada voz. Mesmo sentindo que pode ser uma questão distante ou algo muito difícil, é nas pequenas coisas, nos pequenos detalhes, nas pequenas e ínfimas opções que vivemos este UNO!

Este é um chamado para sair daqui e não sair daqui. Para continuarem presentes no presente. Para levarem esta unicidade, esta energia de união, esta energia do Uno para qualquer lugar que vocês forem. É um ciclo sem fim. Não há grandes mudanças. Não há grandes rupturas visíveis. Cada pequeno momento é uma oportunidade para renascer, ou seja, para morrer e nascer de novo. Cada morte e um novo começo. Cada novo começo é uma morte.  E mesmo que não seja claro no concreto, a mudança é! O cambio é! O renascer é! Cabe a vocês observarem no ínfimo, no pequeno e no cotidiano, na constância.

 

Hagdalahawan

Mestre no Comando deste trabalho

02.01.2017

 

Canalização Kwan Yin Delgado

(Pilar do Espaço Ayon)

 

Comentários:

Lucas Luccas:

Estava discutindo antes esta questão do se permitir, porque, na prática, eu me permito muito qualquer coisa. Eu “Ah, vão bora”. Mas eu não me permito mentalmente. É um esforço muito grande que preciso fazer para permitir a entrada de qualquer coisa. Sou muito mental. Eu quero sempre entender tudo e aí não consigo sentir nada. E aí falamos exatamente sobre escolhas. O quanto às escolhas me fazem eu me cobrar mais e me fazem esperar coisas tipo assim: enquanto eu estava meditando aqui, meu objetivo era ficar mais consciente. Aí eu ficava pensando todo o tempo “eu preciso alcançar aquele estado de consciência que alcancei uma vez, para conseguir aproveitar o máximo”. E justamente esta cobrança é que estava atrapalhando tudo. Eu não conseguia aproveitar nada porque estava me cobrando.

Por isso eu senti muito esta mensagem da escolha, me identifiquei muito com ela. Das pequenas coisas. A gente acredita que terão caminhos e que de repente vai ter uma bifurcação e que você terá que escolher um deles e não é bem assim.

 

Inez S. Lucas:

O Comandante Ashtar nos ensinou sempre que o nosso caminho é construído debaixo dos nossos pés, a cada passo que você dá, a partir das escolhas que você faz. Assim não tem bifurcações para se escolher. Você pode andar devagar, depressa, tudo sempre será sua escolha. Ele fala exatamente isto, que nós temos a ilusão da existência de caminhos a serem percorridos e que não vamos saber escolher qual será o melhor. A igreja fala de dois caminhos, um de espinho outro de flores, e só um deles leva ao paraíso. E isto é uma ilusão. Você faz o caminho caminhando, se vai sofrer ou não já é outra escolha.

 

Monique Araújo:

Acho que também tem um amadurecimento do concretizar. Escolher o movimento que você faz independente do resultado. Se você está a fim, disposto, tem que ver que você decidiu e fez, pode não ter chegado a nenhum nirvana, mas já andou, subiu, está fazendo sua parte, independente do resultado.

 

Lucas Luccas:

Duas coisas eu consegui trabalhar aqui esses dias. Começar a ver as coisas não como um meio para chegar a um fim, mas por elas mesmo. Por exemplo: Não é meditar para chegar a algum lugar e sim simplesmente meditar. É fazer as coisas por elas mesmas.

 

Inez S. Lucas:

Ficar satisfeito por estar fazendo.

 

Marcia Christina Barata:

É a trajetória que conta e não onde vai chegar.

 

Lucas Luccas:

E a segunda coisa foi sobre Escolhas. Também consegui entra nesta de seguir o fluxo, simplesmente seguir o caminho que estou sentindo, é o que quero e pronto! Quando recebi o convite de vir passar a virada do ano aqui, em nenhum momento eu falei: “Ah. Eu vou lá para meditar e achar o caminho“. Não! Apareceu a oportunidade e eu falei: vou! Fiz isto desde a primeira vez que fui ao Encontro de Corações Conscientes com vocês. Foi simplesmente assim: “Ah. Eu quero ir, vou”, eu segui esta minha vontade.

Esta entrada foi publicada em Experiências, Mensagens e marcada com a tag , , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *